12 de mai de 2009

12 de maio, o dia em que senti a terra tremer



Há um ano atrás vim trabalhar, como venho todos os dias. Mas este dia foi diferente. Um dia que ficou marcado pelo choque, pela dor, pela perda, pela fúria. Procurando entre as minhas coisas algumas lembranças sobre o 12 de maio, encontrei o email que enviei para alguns amigos depois do tremor, enquanto as informações eram desencontradas e os mortos ainda não haviam começado a ser contados.


O primeiro terremoto a gente nunca esquece
 
Enquanto eu estava no Brasil, terremoto era coisa que eu só tinha ouvido falar e estudado rapidinho lá nas aulas de geografia do colégio. Ou notícia de lugares distantes. Extremamente distantes da minha realidade. Parece que agora até no Brasil tem. Mas enquanto eu estava aí, não tinha.

O Iugo sempre falou dos tremores do Japão e de como é estranha a sensação de sentir o chão balançar. Essa época do ano parece que eles ficam ainda mais comuns. Como eu ia pra lá, até comentei que não tava com vontade de sentir um.
Voltei do Japão sem sentir o chão tremer. Mas logo depois que sai de lá aconteceu um terremoto mais forte. Medo. Só pensei: "ainda bem que eu não estava lá...".

Hoje acordei meio sem fome e acabei não comendo antes de vir trabalhar. Apesar disso, me sentia muito bem. Estava traduzindo um texto quando, de repente, senti uma espécie de tontura. Achei que talvez pudesse ser por não ter comido, mas jurava estar sentindo a cadeira balançar. E a "tontura" não passava. E eu continuava jurando que a cadeira tremia. A cadeira e uma cestinha no meio das baias, onde a gente coloca os textos que precisam ser traduzidos. Como achei que estava louca, peguei o celular e comecei a mandar uma mensagem pra Mariana, para, caso ela estivesse pela rua, me trazer um chocolate. Nisso meu chefe levanta e grita: "Você viu o terremoto?????". Só consegui dizer "hein??". "Sim, olha as cortinas, ainda estão balançando". Macacos me mordam! Eu não tava louca! Foi terremoto!!!!

Logo depois disso começaram a chegar as primeiras notícias, as pessoas assustadas que conseguiram chegar ao departamento pela escada, porque os elevadores foram desativados. Nisso falei com outros amigos daqui que disseram que acharam estar passando mal, nunca imaginaram que pudesse ser um terremoto. Sabe como é, né? Quando a gente tava no Brasil isso não acontecia...



Meu primeiro terremoto ocorreu as 14h28 do dia 12 de maio de 2008. Em Beijing, teve uma intensidade de 3,9 graus. Mais de mil quilômetros de distância, o grande desastre, com 8 graus na escala Richter, e epicentro no distrito de Wenchuan (汶川), província de Sichuan, sudoeste da China. Aqui foi fraquinho. Ainda bem. Mas para muita gente foi o caos e o fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário