23 de jun de 2009

Quem compra o que quer, acaba vendo o que não quer

Dando uma passeada no Sushicast (http://sushicast.net/2009/05/18/homem-descobre-traicao-da-mulher-em-filme-porno/) , blog dos vizinhos brasileiros que vivem no Japão, vi este fato bizarro, dei umas pesquisadinhas a mais e resolvi, na cara dura, contar aqui.

Ta lá o tiozinho, cansadão da vida. Ele decide dar uma apimentada na relação (nem que seja na dele com ele mesmo, se é que você me entende) e compra um DVD pornô. No dia seguinte ele vai preso. Não, ele não tava na China continental, como gostam de dizer aqui, ele estava em Taiwan, onde isto não é proibido. Como, então? 
Depois de comprar o DVD, o tiozinho faceirinho da vida resolveu dar uma conferidinha solito. Mãos a obra, aperta o play, sai o título e quem aparece? A mulher do cara. Ela tinha uma vida pregressa? Não, ela foi filmada sem conhecimento em um motel transando com o amigo do tiozinho. Sério, de dar pena.
O pobrezinho do corno enlouqueceu com a história e foi tentar lavar a honra com sangue. Saiu atrás do amigo e acertou-lhe uma facada na coxa. O jornal taiwanês "Liberty Times" conta que a transa foi filmada com uma câmera escondida no motel e inserida em um DVD chamado "Casos com as esposas dos outros". Bem, com um título desses, quem compra o que quer, acaba assistindo ao que não quer. 
O fim da história? O marido se separou da esposa e foi indiciado por danos corporais, crime que dá menos de seis meses de prisão e pode ser convertido em multa. O ex-amigo fugiu da aldeia. Reza a lenda que a esposa se entregou a uma nova vocação. Vai saber...

17 de jun de 2009

A noite ao meio-dia

Ontem Beijing foi atingida por uma tempestade como poucas vezes vi na minha vida. De repente o dia virou noite e a escuridão só era interrompida pelo clarão dos raios. Eu, que morro de medo de raios e trovões, só conseguia pensar em dois locais seguros: embaixo da minha cama e no colo da minha mãe.

Para vocês terem uma idéia do festival que virou o céu de Beijing, no período de uma hora o escritório de meteorologia da capital chinesa registrou 538 raios. Gente, é raio pra caramba!

Não foi só a Coruja aqui que sofreu com a tempestade de ontem. Mais de 100 voos atrasaram e dez foram cancelados.  Em Wudaokou, bairro universitário no noroeste da cidade, o povo ficou no escuro e embaixo d'água.

Na foto, surrupiada na maior cara dura do Sina.com, dá para ter uma ideia do que foi o momento "chegou o apocalipse" por aqui ontem. 

Ah, e agora me pergunta se eu trouxe sombrinha? ;)

15 de jun de 2009

Pelado, pelado nu com a mão no... computador

Todo mundo tem o maluco beleza que merece. Aqui na China Ai WeiWei (艾未未), designer gráfico-artista conceitual-diretor, ocupa o posto de doidão de carteirinha. Pois Ai acabou de lançar um novo blog e deixou claro que chegou para abalar.
Para que ninguém tivesse dúvida de que ele é ele, o cara resolveu publicar umas fotos dele... nu! Isso mesmo que você leu: peladão. Há quem ainda tenha dúvidas se o cara é ele...



O peladão também anda dando pitacos no Twitter e no Fanfou, clone chinês para o microblog mundialmente famoso. Se você entende chinês, vai fundo...

8 de jun de 2009

60 anos de China em fotos

Agora que o aniversário de 20 anos de um certo incidente em uma certa praça passou, começam os preparativos para um outro aniversário. Este sim lembrado, relembrado e celebrado pelos chineses (principalmente o governo).

 No próximo dia 1º de outubro, a China comemora os 60 anos da Revolução Comunista e, claro, toda a pujança do país será mostrada na ocasião. Ouso dizer que tem mais importância e internamente será mais celebrado do que a própria Olimpíada. Claro, a Olimpíada será um dos grandes feitos lembrados para mostrar como tudo deu certo por aqui.

Uma das coisas mais legais que saíram até agora em comemoração é um livro de fotografias, que foi editado (em chinês) pelo jornal em inglês China Daily para marcar a data.

O livro, China 1949-2009,  traz fotos das mais diversas épocas e regiões do país nos últimos 60 anos. O livro foi lançado na semana passada, durante a festa de 28 anos do jornal, custa 220 yuans (R$ 63,00) e está disponível, pelo menos por enquanto, apenas em solo chinês.

 Segundo Mark Hughes, editor do jornal, a compilação de fotografias é um tributo ao que Mao queria alcançar na China. “É um livro não apenas para a China, mas para o mundo em geral. A China tem se levantou e está andando erguida”, disse o cara. Sem entrar nos méritos políticos, o livro parece ser muito legal. Fotografias são ótimas contadoras de histórias, fora que valem mais que mil palavras, não é mesmo?

Dá uma olhadinha.









Claro que a China que passou e ainda passa fome não vem apresentada, o que não diminui a importância e beleza do livro. Quer ler a matéria completa (em inglês) e ver mais algumas fotinhos, clica aqui.

5 de jun de 2009

Quatro diferentes cliques sobre o mesmo TankMan


A grande imagem do conflito naquela certa praça é a do Tank Man, aquele anônimo que vinha com sua sacola de compras e parou em frente aos tanques na Avenida Chang'an em Beijing, obstruindo o caminho.

Naquela hora, o pior já tinha acontecido com os estudantes na praça. Mas quatro fotógrafos estavam no Beijing Hotel e viram os tanques vindo. Viram o que estava para acontecer. Não perderam tempo, registraram.

Os depoimentos destes fotógrafos você pode conferir no blog dos fotógrafos do New York Times.
Fiquei mexida lendo os depoimentos. Fiquei imaginando a tensão do Charlie Cole quando se deu conta de que eles estavam sendo vigiados e foi esconder o filme dentro da privada do hotel antes que a polícia chegasse.

Da mesma maneira, eu fiquei mexida com cada história que escutei, com cada depoimento de jornalista, dissidente, estudante que viu ou passou perto daquela praça naqueles dias de protesto e conflito covarde.

Do mesmo jeito, me emociona passar por ali cada vez que eu volto pra casa. Me emociono da mesma maneira que me emocioneu quando andei por ali pela primeira vez, quando na minha cabeça eu consegui visualizar as pessoas pedindo por liberdade e democracia. Naquele dia gelado de dezembro em 2007, eu consegui caminhar pela mesma avenida onde há 20 anos um homem comum, solitário, que ninguém sabe que fim levou, mudou o mundo e se tornou uma das imagens mais significativas do século 20.

Por esta foto, tirada por Terri Jones, da Associated Press, dá para se ter uma ideia de quanto ninguém imaginava que aquilo fosse acontecer. Alguém cansado do que estava ocorrendo na cidade naqueles dias resolveu dar o seu basta. Impensável na China de hoje.

Recomendo que vocês tirem um tempinho e assistam este documentário sobre o herói anônimo e os conflitos. Excelente qualidade, excelentes depoimentos, boa edição, muito triste história.

3 de jun de 2009

E o "cala a boca" virtual aumenta

Hoje é véspera do aniversário de 20 anos de um certo massacre, em uma certa praça, de um certo país gigante comunista asiático. Este sempre foi e sempre vai ser um assunto tabu. Mesmo admitindo a matança, os números do governo não fecham, variam de dezenas a milhares, e os mais jovens ou não lembram, ou não acreditam, ou fazem de conta que não sabem. O que o governo quer é evitar o falatório. Evitar que quem não sabe, fique sabendo e quem não acredita (ou não acredita no que o ocidente disse sobre o assunto), comece a ter dúvidas.

O Youtube, Blogger e Wordpress agora têm a companhia do Twitter, Hotmail e Windows Live. Redes sociais e sites de relacionamento estão "coincidentemente" em manutenção até, pelo menos, o dia 6. A navegação, principalmente em sites de fora da China, está insuportavelmente lenta. O negócio é dificultar. Mas a maioria do povo chinês adota uma postura "eu faço de conta que não estou sabendo". O governo de "e eu que não estou fazendo". E assim segue o baile.

Vamos ver como serão as coisas amanhã.

Update: Mais um site fora do ar. O Flickr bailou também.

2 de jun de 2009

Lula na telinha chinesa


E o Lula tá na TV. Durante a visita do presidente à China, de 18 a 20 de maio, ele deu uma entrevista exclusiva à CCTV, televisão estatal chinesa. Como a visita acabou e as notícias sobre a vinda e os acordos baixaram, achei que tinha ido ao ar há muito tempo. Pois me enganei.

Foi ao ar só ontem, às 20h15 (horário de Beijing), no programa Top Talk, apresentado por 水均益 (Shui junyi), a íntegra da entrevista concedida na capital chinesa.

É meio longo, mas assiste aqui e depois vê se concorda comigo:
(se não funcionar aqui, tem aqui: http://space.tv.cctv.com/video/VIDE1243776065623550)



O presidente deve realmente ter pensado “ah, se todos fossem iguais a você...”

Nunca deve ter sido tão fácil. Começou falando de futebol, levantou a bola do Ronaldo gordo, declarou seu amor ao Corinthians. A super polêmica do bloco foi a declaração do presidente de que os jogadores brasileiros deveriam aprender com o Messi, da Argentina. Nossa!! De abalar o governo, hein???

O resto foi mais fácil ainda. Ele falou. O entrevistador concordou ou, pelo menos, não discordou.

Falou bem até. Fora as escorregadas habituais nos plurais, Lula falou para os chineses, falou o que os chineses queriam ouvir: que a nação deles é muito importante para o Brasil e para o mundo. Por isso a delegação veio grande, com mais de 240 pessoas, a maioria empresários, por isso é uma missão importante. Falou o que muitos brasileiros gostariam de sentir: que o Brasil não é mais o gigante adormecido de outrora.

A moral do presidente foi levantada quando o apresentador disse que ele era muito popular e citou a frase do Obama, o que suficiente para Lular falar da esperança que tem no presidente norte-americano, das mudanças com minorias sendo democraticamente eleitas (opa, nesse lado do globo alguém acha que pode ter sido mal?), citando como exemplo ele, um operário, Evo Moralez da Bolívia, um índio, e agora Obama, um negro. O presidente comentou sobre o seu segundo mandato e o quanto mantém a humildade, que trata bem os pobres e os ricos, os banqueiros e os marginalizados, porque sabe quem é e de onde veio.

Com o espaço e a liberdade que a mídia chinesa deu (alguém mais acha que soou estranho?), Lula deitou e rolou. Não foi uma entrevista, foi um discurso para as massas. E dos bons. Até porque a China também acha o Brasil importante e não seria nada interessante pisar nos calos de um governo que tem sido amistoso, de um país grande, cheio de necessidades e que fez do gigante asiático o seu maior parceiro comercial. Escândalos? CPIs? Problemas internos, diriam os chineses. E como não gostam que interfiram nos deles, porque interferir nos dos outros, não é mesmo?



Destaques aleatórios:

- O apresentador tá precisando urgente de um tratamento dentário. Pelamordedeus!

- “Last question: How is your shoulder?” Afffffff!! Tudo bem, o gancho é porque Lula se tratou com um chinês, usando medicina tradicional chinesa e jura que por causa disso há cinco anos a bursite não incomoda mais. Mas mesmo assim... afff

- Ah, a primeira pergunta para Lula: Quais são as expectivas do Brasil para a Copa de 2010?

- O apresentador chinês e o Lula analisando o Ronaldo é algo que ninguém merece

- O melhor foi o presidente dizendo que todo o dia 23 de dezembro ele se reúne com a associação dos catadores de papel. Qual a imagem que a tv chinesa usou para ilustrar??? Um comício da Benedita, com a própria ao lado de Lula. Hein?

Frases do Lula

- Na verdade, a coisa mais globalizada do planeta é jogador de futebol

- É melhor ser presidente do que ser técnico. Presidente as pessoas ainda respeitam mais.

- Eu disse pra ele que voltar para a seleção ou não depende muito dele (Ronaldo). Se ele se dedicar no ano de 2009, se preparar, treinar corretamente e colocar como objetivo de vida chegar à Copa do Mundo, eu penso que o técnico terá muita dificulade de não convocá-lo para a seleção brasileira

- Ele (ainda Ronaldo) tá jogando no meu time agora. Eu tô muito feliz, ele tem feito uns gols. Acabamo de ser campeão em São Paulo, sabe, com gol do Ronaldo. Então, é muito importante pra mim pessoalmente e pro meu time de futebol. (aqui o barbudo se emocionou e esqueceu mesmo que era uma entrevista)

- Eu acredito que China e Brasil acordaram para o desenvolvimento.

- Eu tenho certeza absoluta que o povo chinês vai adorar o Brasil

1 de jun de 2009

Dando uma mãozinha

Este post vem meio atrasado, mas lá vai.

Um senhor, soldado da reserva, homem respeitado, vê um bafafá ocorrendo perto de uma das pontes da cidade. Curioso, vai lá saber do quê se trata. Era um suicida. O homem, sentindo que estava fazendo um favor para a humanidade, vai lá em cima, onde o suicida estava empoleirado, conversa com ele e resolve que é hora de dar uma mãozinha. Se enganou quem pensou que ele ajudou o tirar o cara, ao contrário, ele ajudou a atirar o suicida da ponte.

Vai uma mãozinha aí?

O soldado da reserva se chama Lian Jiansheng, tem 66 anos, e rompeu um cordão policial que protegia a área para “dar uma mãozinha” a Chen Fuchao antes de empurrá-lo da ponte Haizhu, na cidade de Guangzhou, sul do país, no último dia 23.

O resultado disso? O suicida não morreu, só quebrou o braço, e o prestativo senhor Lian foi preso por tentativa de assassinato. A justificativa do empurrão? É que ele acha os suicidas muito egoístas.

Assistam ao vídeo. Está em chinês, mas dá pra entender o que se passa. Só eu fiquei completamente chocada com o que esse cara fez?
(Se não abrir no corpo do post, tenta aqui: http://v.youku.com/v_show/id_XOTM0NTA4NTI=.html)




Claro que a notícia se espalhou por aqui e todo mundo comentava o assunto. A maioria, pelo que me disseram, discordando de Lian, mas achando a situação bizarra o suficiente para dar risada.

Conversando com um amigo chinês, perguntei o que ele tinha achado sobre o caso. A resposta é uma peróla:
“Conclusão: vivemos em um mundo muito brutal, se a pessoa não for determinada o suficiente, não pode nem tentar cometer suicído. Mas em tudo há distribuição de brindes. Se fraquejar, contará com ajuda grátis”.

Então tá, né?

Ela perdeu, mas agora eu sei quem é

Pois, é... a Susan Boyle perdeu o Britain's Got Talent, mas quando rolou a primeira apresentação dela eu fiquei angustiada: quem é essa mulher? Este post escrevi pro Corujando, quando ainda era possível acessar o Blogger, mas acho que vale por aqui também.


Quem não tem YouTube caça com YouKu. Que história é essa? Pois é isso mesmo que vocês leram. Como todos devem saber, nem tudo na internet tem acesso liberado aqui na China. Por causa disso, sabe-se até lá quando, temos que seguir nossas vidinhas sem o YouTube. E digo pra vocês, é uma tarefa bem difícil, já que dava pra acessar pra basicamente tudo. Cansei de ouvir música, catar trailler de filme, ver capítulo de novela, entrevista bacana, fora toda a sorte de bobagens que o tubo podia proporcionar. E acessá-lo era algo tão automático quanto acender a luz quando está escuro. A gente só nota o quanto faz faltaquando não tem.
Nem todos os direcionadores de proxy do mundo resolveram o problema. Não adianta mais chorar. Não tem e pronto. E se reclamar vai ficar de castigo.

Eu até tava conseguindo me controlar legal com essa coisa de não ter Youtube. É como um tratamento para desintoxicação... Com o tempo acalma. Mas a Susan Boyle, ah a Susan Boyle acabou comigo!!! TODO MUNDO no twitter, blogs, everywhere na rede, comentava sobre ela. Comentava da atuação emocionante. Comentava dos 5 minutos de fama após uma vida inteira de fracassos. E TODO mundo linkava para o YouTube... o mesmo YouTube que tive que me acostumar com a ideia de viver sem. A sensação é a mesma de quando se para de fumar e alguém, do lado de fora de qualquer lugar, abre a carteira de cigarro bem devagar, pega o cigarro com os dedos, brinca com eles entre os dedos até levar a boca, com a outra mão pega o isqueiro e acende. Pra completar, ainda fecha os olhos e da A tragada. Sim, é tortura. E levando em conta a minha localização geográfica... ironicamente se torna TORTURA CHINESA.
Tive que fazer alguma coisa. Eu não podia mais ser a única pessoa do mundo a não saber who the hell is Susan Boyle! Seguindo a velha máxima de "se não pode com eles, junte-se a eles", apelei para o YouKu.com


Sim, esta é a versão chinesa do YouTube. 优酷 (youku) significa algo como "excelente e legal". Eu sempre achei que escolheram um "you" antes pra ficar parecido com a versão gringa do site de compartilhamento de vídeos, mas os chineses para quem eu perguntei juram que não. O YouKu surgiu em 2006 e é, junto com o Tudou, o mais popular para assistir vídeos por aqui. Tem de tudo e de tudo tem, menos brasilidades, mas tá beleza.
Mas o que eu precisava era matar a minha curiosidade. QUEM É SUSAN BOYLE??? E sim, ELA está lá no YouKu!!!! Finalmente vi a escocesa desempregada e desacreditada cantando! Finalmente entendi todos os comentários que tinha lido antes! Ufa!!!


A experiência ainda teve outro ganho... No desespero, dá pra tentar assistir alguma coisa por ali. Mas a minha crise de abstinencia de YouTube nao vai passar do mesmo jeito... tento certeza! FREE YOUTUBE!!!!