8 de out de 2009

Que venha a erva-mate

Eu acho tão legal quando isso acontece. Quando a gente mora fora, receber visitas da pátria-mãe tem outro gosto, outra cor, outro sotaque. Mais ainda quando isso tem cheiro de casa, a visita trazendo uma poeirinha das ruas onde tu costumavas andar, ou tendo no olho ainda aquelas paisagens que te eram tão comuns e hoje são tão caras.

Sei, ando à flor da pele, ando mesmo. Por isso essa notícia de hoje me deixou faceira.

Desde o final do mês passado, 42 pessoas da minha amada cidadezita dos pagos gaúchos, Gravataí, andam aqui pela China. A gurizada veio por um ótimo motivo: dançar. O povo é lá do CTG Aldeia dos Anjos e vai passar um mês rodando este país continental para apresentar um pouco do folclore gaúcho para o povo mandarim.

Uma pena que Pequim não está incluída no roteiro da gauderiada, seria impagável assistir a um show da invernada aqui. Mesmo assim, tá beleza! O povo agora anda em Changzhou, na província de Zhejiang, e tá curtindo essa terrinha que eu adouro.

Só que com a agenda apertadíssima, achei que não daria tempo de vê-los por aqui e mostrar um pouquinho da minha China, que não é a china véia da minha terra. Achei que o pacote de erva-mate que veio de presente em uma das malas voaria de volta pro Brasil. Não mais. Acabei de ficar sabendo que eles ficarão três dias na capital chinesa, numa folguinha merecida no fim da turnê, e poderão passear comigo um pouquinho, contando histórias da terrinha e fazendo uma legítima roda gaúcha de chimarrão. Bem bom, né, tchê?


Nenhum comentário:

Postar um comentário